CEMITÉRIOS BRASILEIROS


ESTADO
Escolha o Estado
CIDADE
Escolha a cidade
CEMITÉRIOS
Escolha o Cemitério para ver mais detalhes


MAUSOLÉU DE JÚLIO DE CASTILHOS.Monumento positivista,mármore e bronze,escultor Décio Rodrigues Villares, 1913.
ARQUIVOS EXTRAS


A cidade de Porto Alegre foi uma região habitada inicialmente pelos índios Guaranis. No século XVII o tropeiro Jerônimo de Ornellas Menezes e Vasconcelos estabeleceu-se em um pequeno sítio às margens da lagoa do Viamão, dando início a formação do povoado. Porto Alegre teve quatro nomes diferentes antes de ser considerada cidade: Porto de Viamão (1732), Porto do Dorneles (1740), Porto dos Casais (1772) e Nossa Senhora Madre de Deus de Porto Alegre (26 de março de 1772). Em 1808 foi elevada à categoria de vila e em 1822 à de cidade. O cemitério Santa Casa foi construído em 1843, no “Alto da Azenha” pelo general Luis Alves de Lima e Silva – o Duque de Caxias, devido à necessidade urgente da construção de um novo cemitério, já que o antigo ficava nos fundos da igreja matriz, e estava superlotado. Inaugurado em 1850 coube a Santa Casa assumir a administração do mesmo. Atualmente o cemitério possui onze hectares de área, contado com as galerias para os sepultamentos em gavetas; área nobre para os jazigos e monumentos funerários; local para os sepultamentos comuns e para indigentes. Ele reúne um belo e rico acervo de monumentos com esculturas de mármore, de granito e de bronze, realizados por marmoristas e escultores locais e de demais partes do Brasil. Vê-se a forte influência da arte funerária européia na ala histórica do cemitério.

Cronologia:

  • 1732 - o Tropeiro Jerônimo de Ornelas Menezes e Vasconcelos se instala nas terras às margens da lagoa de Viamão.

  • 1740 - Jerônimo de Ornelas recebe a carta de Sesmaria, e traz seus parentes e agregados, formando assim uma comunidade.

  • 1752 - Chegaram sessenta casais açorianos com seus filhos para se instalarem próximos ao povoado de Viamão.

  • 1753 - Notícias do Cemitério de Porto Alegre, localizado na antiga Praça da Harmonia na beira do rio Guaíba.

  • 1772 - A freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Viamão é dividida em duas.

  • 1772 - Os sepultamentos passaram a ocorrer no cemitério e dentro da Igreja Matriz. O cemitério se estendia desde os fundos da Matriz, na Rua Duque de Caxias até a rua do arvoredo, hoje Coronel Fernando Machado.

  • 1773 - Novo edital rebatiza a pequena povoação como Madre de Deus de Porto Alegre, houve a transferência da câmara municipal de Viamão para Porto Alegre.

    1784 / 1790 - Instalação do primeiro Cemitério junto com a Igreja Matriz, cemitério da Santa Casa de Misericórdia.

  • 1803 - Lançada à pedra fundamental para a construção da Santa Casa de Misericórdia.

  • 1808 - Porto Alegre elevada à categoria de vila.

  • 1822 - Porto Alegre elevada à categoria de cidade.

  • 1825 – Autorização para a construção de outro cemitério no território da Igreja Matriz, ele seria destinado a enterrar os condenados à pena capital.

  • 1825 - Autorização para fazer a Capela dos Passos ao lado da Santa Casa de Misericórdia. Cemitério no local.

  • 1835 - Guerra da Farroupilha.

  • 1836 - Os imperiais retomam a cidade.

  • 1843 - No alto da colinha Azenha inicia-se a construção do novo cemitério secularizado, o da Santa Casa de Misericórdia, previsão para ocupar uma área de 8,4 ha. de superfície.

  • 1845 - Primeiros imigrantes italianos e alemães desembarcaram na capital do estado do Rio Grande do Sul.

  • 1849 - Instituiu-se o regimento para o Cemitério da cidade de Porto Alegre.

  • 1850 - Inauguração do cemitério Santa Casa.

  • 1856 - Instalação do Cemitério Evangélico Luterano, área contígua ao cemitério da Santa Casa. Possui vegetação de grande porte, por isso denominado também de Cemitério Floresta.

  • 1865 - Guerra do Paraguai.

  • 1888 - Início do cemitério São José I, comunidade alemã católica, Alto da Azenha.

  • 1893 - O cemitério da Santa Casa já continha 43 anos de existência e 50.000 mortos.

  • 1908 – Inauguração do Cemitério da Irmandade São Miguel e Almas. A referida Irmandade se desvinculou do Cemitério da Santa Casa. Foi Instalado no lado oposto da estrada da Cascata.

  • 1915 - Ampliação do cemitério Evangélico, chamado a segunda parte de cemitério São José II.

  • 1931 – Ampliação do Cemitério São Miguel e Almas. Inauguração da primeira parte das galerias com catacumbas. Projeto de Armando Boni.

  • 1936 - Inauguração do cemitério público São João distante do bairro Azenha.

  • 1940 - A cidade assume seu caráter de centro administrativo, comercial, industrial e financeiro do Estado do Rio Grande do Sul.

  • Final do século XX - Instalação nos Altos da Azenha os cemitérios: Batista, Espanhol e da União Israelita.





 I